domingo, 25 de dezembro de 2011

Homenagem à turma 82 - EMEF Tiradentes


Bem, olhando para os rostinhos dos meus amados, compartilhando este conquista, “Primeira Formatura,” já sinto saudade, mas estou feliz, pois trabalhamos para que esse momento acontecesse... Espero, sinceramente, que seja a primeira conquista de muitas!
Queridos, não é novo o que vou dizer, porém é necessário lembrá-los que o momento é lindo, mas a caminhada que virá pela frente é longa e vocês devem buscar a excelência em tudo o que fizerem, por isso,  lembrem-se “a nota” não é o bastante, a nota deverá ser sempre a representação do conhecimento, frente a isso peço que sejam fortes, determinados e comprometidos nesta etapa que desponta na vida de cada um de vocês, seja na Escola Rubén Dario, seja na Escola Guianuba, enfim seja onde for, porque não é a escola, nem o professor que fazem o “Bom aluno”, quem o faz é ele próprio.
Ao longo desse período que passamos juntos criamos um vinculo de carinho, amizade e respeito mútuo, cada um com sua particularidade: a Adriele foi a minha surpresa positiva desse ano, parabéns, querida! O Ayron, que eu adoro, produz somente com muito diálogo.
A Camila, sempre dedicada e  comprometida  com isso  é portadora dos melhores resultados, Já a Carina  e a Thalia por quem tenho muito carinho precisei puxar a orelha por diversas vezes.  E o Dionata Daniel, o que dizer? Apesar de todo meu carinho não posso deixar de pedir amadurecimento e responsabilidade, pois a partir de agora mudanças expressivas acontecerão em tua vida. A Jenifer, não somente eu, mas todos os professores têm o maior carinho e admiração por seu comprometimento e adequada postura, Shaiane, minha querida, não tenha medo de experimentar o novo, corra atrás dos seus objetivos, siga o belo exemplo da tua mãe! Não tenho  como falar separadamente da Pamela e da Sheila, elas formam uma duplinha inseparável, vocês têm um lugar muito especial em coração! Matheus, meu adorado aluno, tens um potencial inigualável, colha o sucesso que te aguarda ali em frente,  Natália, já estou com saudades, és competente, precisas apenas confiar mais em você “consegui dizer”?! Raquel, meu bem, conquiste o teu espaço, tens condições para isso, Glórinha com esse jeitinho meigo, porém determinada consegue o que quer. Milena é de família, sou tua fã como sou fã do Jean Felipe, Sandy, meu docinho que eu adoro, meiga, querida, tudo de bom. E o William, chegou depois, correu atrás e hoje está aqui desfrutando sua conquista, parabéns querido!
A propósito, não posso deixar de explicitar meu não menor carinho,admiração e orgulho pela turma 81, adoro a cada um de vocês!
Por fim, a todos os meus mais que alunos, vocês estão deixando uma marca em mim e levando o meu carinho, amizade e meu desejo de sucesso!!!
Parabéns pela formatura!

Boas Férias!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Linguagem dos manos

Mano não vai embora vaza
Mano não briga arranja treta
Mano não vai em festa vai prá balada
Mano não bebe chapa o coco
Mano não cai capota
Mano não entende se liga
Mano não fuma dá uns pega
Mano não passeia dá um rolê
Mano não come ranga
Mano não entra cai prá dentro
Mano não mata destrói/dichava
Mano não fala troca idéia
Mano não dorme apaga
Mano nunca tá apaixonado tá afim
Mano não namora dá uns cato
Mano não mente dá um migué
Mano não ouve música curte um som
Mano não se dá mal a casa cai
Mano não acha interessante acha irado/bem lôco
Mano não tem amigos tem uns truta/uns camarada
Mano não mora em bairro se esconde nas quebrada, na área
Mano não vai pra praia cai pro Litoral
Mano não tem namorada tem mina
Mano não faz algo legal faz umas parada firmeza
Mano não é gente é mano

E para finalizar:"Sangue na veia de mano não corre...tira racha"

TÁ CERTO AGORA MANO!!!!

http://forum.brfoto.com.br/index.php?showtopic=24600 


A linguagem é variável e particular de cada indivíduo, como podemos contemplar   no texto acima. E a pergunta é: devemos aceitar qualquer tipo de comunicação,  ou o papel do professor consiste em moldar um perfil único para seus educandos?
Minha opinião para essa questão gira em torno de distinguir o momento certo, tendo em vista que em uma turma de adolescentes inseridos em meio que interage de tal forma, será inevitável que o seu comportamento seja semelhante. Então vejo o papel do professor como mediador para essa questão, ensinando o que é padrão em língua materna e os momentos em que ela tem obrigatoriedade de ser usada.

Deixe sua opinião.

"Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."
Cora Coralina